publicidade

Vedações e revestimentos verticais >> Parede com função estrutural

Sistema light steel framing


Características técnicas para atender a norma:

Diretriz SiNAT nº 003 - Revisão 02 - Diretriz para Avaliação Técnica de Sistemas construtivos estruturados em perfis leves de aço zincado conformados a frio, com fechamentos em chapas delgadas (Sistemas leves tipo "Light Steel Framing")
Classificação Observação
Perfis metálicos dos quadros estruturais Resistência mínima de escoamento 230 MPa, segundo a ABNT NBR 6673
Proteção contra-corrosão - massa do revestimento por unidade de área Para atmosferas rurais e urbanas - mínimo Z275: mínimo de 275 g/m² para ensaio triplo, segundo a ABNT NBR 15253
Para atmosferas marinhas (*) - mínimo Z350: mínimo de 350 g/m² para ensaio triplo, segundo a ABNT NBR 7008
Proteção contra corrosão - aderência do revestimento Após ensaio, não pode haver destacamento da camada de zinco, segundo a ABNT NBR 7398
Espessura nominal mínima dos perfis (tn) Montante e guias - perfis U/simples ou enrijecidos ≥ 0,80mm (segundo ABNT NBR 15253)
Perfil cartola ≥ 0,65mm
Resistência à corrosão 360 horas de salt spray sem corrosão vermelha em atmosferas rurais e urbanas. 720 horas de salt spray sem corrosão vermelha em atmosferas marinhas (aquelas distantes até 2.000m da orla marinha*)
Placas cimentícias Classificação Classe A - para uso externo e interno em áreas molháveis
Classe B - para uso interno em áreas secas
Resistência mecânica (resistência à tração na flexão) A resistência à flexão das placas na direção de menor resistência não pode ser menor que 70% do valor especificado abaixo, onde a classe A corresponde à condição saturada e a classe B à condição de equilíbrio (critério da ABNT NBR 15.498)
Categoria Placa de classe A Placa de classe B
1 - 4 MPa
2 4 MPa 7 MPa
3 7 MPa 10 MPa
4 13 MPa 16 MPa
5 18 MPa 22 MPa
Permeabilidade à água Em situações de ensaios podem aparecer traços de umidade na face inferior das placas, porém sem surgimento de gotas de água, após 24 horas de exposição das placas numa lâmina de água de 20 mm. (critério da ABNT NBR 15.498)
Absorção de água A ≤ 25%
Durabilidade: resistência após ciclos de imersão em água e secagem A resistência à flexão após ensaio não deve ser inferior a 70% da resistência inicial do produto (critério da ABNT NBR 15.498)
Durabilidade: resistência à água quente
Variação dimensional em função de gradientes higrotérmicos A variação dimensional da chapa, considerado o tratamento empregado nas juntas, não pode permitir a ocorrência de falhas, como fissuras, destacamentos e descolamentos, conforme critério definido para a resistência à ação de calor e choque térmico
Densidade aparente Informação que deve constar do projeto e do DATEC específico
Chapas de gesso para drywall Identificação A chapa deve conter de forma indelével: o nº da norma (ABNT NBR 14715), marca, lote de produção, tipo de chapa e de borda, espessura, largura, conforme ABNT NBR 14715
Dimensional Espessura - E ± 0,5 mm em relação ao valor nominal informado, conforme ABNT NBR 14715
Largura - L + 0 / - 4 mm, conforme ABNT NBR 14715
Comprimento - C + 0 / - 5 mm, conforme ABNT NBR 14715
Esquadro Máximo 2,5 mm, conforme ABNT NBR 14715
Rebaixo Largura  Mínima 40 mm / Máxima 80 mm, conforme ABNT NBR 14715
Profundidade Mínima 0,6 mm / Máxima 2,5 mm, conforme ABNT NBR 14715
Densidade superficial de massa Mínima 8,0 kg/m² / Máxima 12,0 kg/m² - chapas de gesso com espessura nominal de 12,5 mm, conforme ABNT NBR 14715
Mínima 10,0 kg/m² / Máxima 14,0 kg/m² - chapas de gesso com espessura nominal de 15,0mm, conforme ABNT NBR 14715
Dureza superficial Máximo 20 mm, conforme ABNT NBR 14715
Resistência à ruptura na flexão Longitudinal Mínima 550 N - chapas de gesso com espessura nominal de 12,5 mm, conforme ABNT NBR 14715
Mínima 650 N - chapas de gesso com espessura nominal de 15,0 mm, conforme ABNT NBR 14715
Transversal Mínima 210 N - chapas de gesso com espessura nominal de 12,5 mm, conforme ABNT NBR 14715
Mínima 250 N - chapas de gesso com espessura nominal de 15,0 mm, conforme ABNT NBR 14715
Absorção de água (somente para RU) Máxima 5%, conforme ABNT NBR 14715
Fita para tratamento de juntas entre chapas de gesso para drywall Identificação Embalagens ou rolos com largura e comprimento; o nº da norma (ABNT NBR 15758), nome do fabricante, conforme NBR 15758
Dimensional Largura: de 47,6 a 57,2 mm e Espessura Máxima: 0,30 mm, conforme ABNT NBR 15758
Resistência à tração Mínima: 5,25 N/mm, conforme ABNT NBR 15758
Estabilidade dimensional Longitudinal máxima: 0,4% e Transversal máxima: 2,5%, conforme ABNT NBR 15758
Chapas de OSB estrutural ou chapas de OSB com acabamento na face externa Classificação Tipo 2 (para uso em ambientes secos)
Tipo 3 (para uso em ambientes úmidos), segundo DIN EN 300
Índice de umidade 2 a 12%, conforme DIN EN 300
Resistência à flexão (maior e menor eixo) Conforme EN 300 (parâmetro definido em função do tipo de OSB, 2 ou 3, e da espessura da chapa)
Inchamento da chapa (espessura) I ≤ 20% para OSB tipo 2; e 15% para OSB tipo 3 (segundo EN 300)
Resistência ao ataque de cupins Conforme recomendações da Diretriz SiNAT nº 003
Resistência ao crescimento de fungos Conforme recomendações da Diretriz SiNAT nº 003
Siding de PVC Resistência do PVC aos raios ultravioletas (exposição de placas em câmara de CUV-UVB) 2000 horas de exposição em câmara de CUV, com lâmpada de UVB, conforme ISO 4892
Módulo de elasticidade na flexão (antes e após CUV) Rapós envelhecimento ≥ 0,70 Rinicial, conforme ASTM D790
Resistência ao impacto: realizar ensaio de impacto Charpy ou ensaio de impacto na tração (antes e após exposição em câmara de CUV) Rapós envelhecimento ≥ 0,70 Rinicial, conforme DIN EN ISO 179, ISO 8256
Aspecto visual após ensaio de envelhecimento acelerado As duas faces do corpo de prova devem ser avaliadas: Sem bolhas, sem fissuras, ou escamações, após exposição de 2000 horas em câmara de CUV, com avaliação a 500h, 1000h, 1500h e 2000h
Material de preenchimento de juntas visíveis Alongamento Informação que deve constar do projeto
Resistência de ruptura à tração antes e após ciclos de envelhecimento
Dureza inicial (1 a 6 meses) (20ºC)
Resistência à umidade
Resistência aos raios ultravioletas
Resistência à produtos químicos
Temperatura de trabalho ºC
Tempo de cura (horas)
Massa para preenchimento de juntas dissimuladas Teor de resina Informação que deve constar do projeto
Aptidão para dissimular fissura
Craqueamento / Fissuração
Retração
Fita ou de tela usada nas juntas entre placas cimentícias Dimensões Informação que deve constar do projeto
Resistência à tração
Massa superficial (kg/m²)
Fibras por cm
Resistência à tração após imersão de 24h em solução alcalina Deve-se submeter a ensaio de resistência à tração antes e após envelhecimento acelerado em meio alcalino, considerando Rapós envelhecimento ≥ 0,50 Rinicial, sendo no mínimo 20 N/mm, após envelhecimento
Argamassa de revestimento Retenção de água ≥ 82%
Densidade de massa no estado fresco Conforme especificação do fabricante
Densidade de massa no estado endurecido
Resistência à tração na flexão aos 28 dias ≥ 2,0 Mpa
Resistência à compressão aos 28 dias Conforme especificação do fabricante
Resistência potencial de aderência à tração ≥ 0,30 Mpa
Coeficiente de capilaridade Conforme especificação do fabricante
Módulo de deformação dinâmico
Variação dimensional aos 28 dias
Materiais acústicos Descrição do material Informação que deve constar do projeto
Espessura ou densidade
Coeficiente de absorção sonora
Produtos isolantes térmicos Espessura Informação que deve constar do projeto
Densidade
Condutividade térmica ≤ 0,06W/mºC
Resistência térmica ≥ 0,5m2K/W
Barreiras impermeáveis a água e permeáveis ao vapor Gramatura Informação que deve constar do projeto
Passagem de vapor
Absorção de água
Parafusos e chumbadores Descrição/ tipo e uso Informação que deve constar do projeto
Proteção contra-corrosão / Tipo e espessura do revestimento
Resistência à corrosão (Tempo mínimo para aparecimento de corrosão vermelha no material base quando exposto em câmara de névoa salina) Parafusos aplicados para fixação das chapas internas em parede não estrutural: 48 horas
Parafusos aplicados para fixação das chapas internas de fechamento dos quadros estruturais de áreas secas: 96 horas
Parafusos aplicados para a fixação das chapas internas de fechamento dos quadros estruturais áreas molhadas ou molháveis: 240 horas
Parafusos aplicados entre perfis metálicos para a fixação dos quadros estruturas e nos chumbadores de fixação desses quadros à fundação: 240 horas;
Parafusos para fixação das chapas externas aos quadros estruturais em ambientes rurais: 240 horas
Parafusos para fixação de chapas externas aos quadros estruturais em ambientes urbanos, industriais leves, ou a mais que 2.000 metros da orla marítima: 480 horas
Parafusos para fixação de chapas externas aos quadros estruturais em ambientes marinhos*: 720 horas.
Poder de perfuração Ponta tipo agulha: máximo de 1s, segundo ISO 10666
Ponta tipo broca: máximo de 4s, segundo ISO 10666
Resistência à torção Não pode apresentar rompimento com a aplicação de um torque inferior a 4,7 N.m, segundo EN 14566+A1
Resistência de arrancamento (pull-out) > 400N, conforme ASTM D1037

 *São considerados ambientes marinhos (classe de agressividade III) aqueles distantes da oral marinha até 2.000 metros ou com qualquer concentração de cloreto (Cl-). Assim, aqueles ambientes distantes mais do que 2.000 metros da orla marinha e sem concentração de cloreto (Cl-), segundo avaliação pelo método da vela úmida, ABNT NBR 6211, podem ser considerados classe I ou II (ambientes rurais e urbanos, respectivamente).


1 | 2 | Próxima >>

publicidade

publicidade

Destaques da Loja Pini

A consulta dos profissionais ao site CONSTRUNORMAS não substitui, em hipótese alguma, o exame detalhado das normas técnicas vigentes junto à ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Pelo contrário, as interpretações e apontamentos reunidos no site visam facilitar e estimular o consumo frequente das informações integralmente contidas nos textos das normas, comercializadas nos canais autorizados pela ABNT (http://www.abnt.org.br/)