publicidade

Notícias >>

Comissão retoma estudos de norma de madeira serrada para construção civil

Parte 1 diz respeito aos requisitos e do uso geral e a parte 2 dos métodos de ensaio para uso no setor

Luísa Cortés, do Portal PINIweb
3/Fevereiro/2017
Pixabay

Foram retomados os trabalhos para a atualização da norma técnica de madeira serrada para a construção civil, que já teve a sua terminologia discutida pela Comissão de Estudos (CE-02) da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e um grupo de trabalho indicado, com reunião prevista para março.

A elaboração da norma conta com a participação de representantes de empresas de Santa Catarina e do Paraná, além de entidades como a Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci), Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR) e Sindicato das Indústrias de Madeira do Médio e Alto Vale do Itajaí (Sindimade).

Na primeira reunião, foi discutida a parte 1 (requisitos), que trata do uso geral, e não estrutural. Agora, será elaborada a parte 2 (métodos de ensaio) para o uso na construção civil, além dos projetos de normas de madeira serrada para móveis, transportes e uso geral.

O escopo da norma também já foi definido e ficou como "normalização no campo da madeira serrada, compreendendo peças de madeira serrada e secagem de madeira serrada, no que concerne a terminologia, requisitos, classificação, procedimentos e métodos de ensaios". Ele já havia sido revisado e validado no ano passado.

Daniel Berneck é coordenador da Comissão de Estudos, e para ele, a norma envolve o uso padrão do cliente. "Cabe aos participantes contribuírem com suas experiências para evolução do texto, pois cada vez mais seremos cobrados por desempenho. Avançamos muito neste encontro com um grupo bem representado", explica.

publicidade

publicidade

Destaques da Loja Pini

A consulta dos profissionais ao site CONSTRUNORMAS não substitui, em hipótese alguma, o exame detalhado das normas técnicas vigentes junto à ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Pelo contrário, as interpretações e apontamentos reunidos no site visam facilitar e estimular o consumo frequente das informações integralmente contidas nos textos das normas, comercializadas nos canais autorizados pela ABNT (http://www.abnt.org.br/)