publicidade

Impermeabilização >>

Emulsão asfáltica


Características técnicas para atender a norma:

Norma ABNT NBR 9685:2005 - Emulsão asfáltica para impermeabilização

Requisitos

Emulsão asfáltica com carga

Emulsão asfáltica sem carga

Emulsão de asfalto modificado com elastômero

Massa específica relativa 25°C/25°C - g/cm³

1,10 - 1,20

0,98 - 1,04

0,98 - 1,10

Resíduo por evaporação (mínimo) - %

50

50

55

Cinzas sobre resíduo por evaporação (máximo) - %

30

8

8

Inflamabilidade

Nenhuma possibilidade de ignição ou fogo quando aquecida a 32°C

Secagem total (máximo) - h

24

24

24

Solicitar a qualificação ou certificação do produto

Obs.: A empresa deverá informar se o seu produto é qualificado ou certificado, o programa, a entidade coordenadora geral, a entidade gestora técnica ou o OCP (Organismo de Certificação do Produto).

Solicitar informações sobre a classificação ambiental

  • Classificação do resíduo: conforme resolução CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) 307, de 05 de julho de 2002, e 431, de 24 de maio de 2011, os resíduos de emulsão asfáltica podem ser considerados de classe D.
  • O FABRICANTE DEVE INFORMAR A CLASSE DO SEU PRODUTO.
  • Destinação do resíduo: Os resíduos de classe D deverão ser armazenados, transportados e destinados de acordo com as normas técnicas específicas.
  • O FABRICANTE DEVE INFORMAR A DESTINAÇÃO, CONFORME RESOLUÇÃO DO CONAMA

Obs.: Informar a classe dos resíduos de acordo com a NBR 10004:2004, por exemplo: "os resíduos podem ser considerados como sendo de classe II A - Não inertes".

Nota: O IBI, Instituto Brasileiro de Impermeabilização, recomenda a estruturação de um programa de gerenciamento de resíduos de impermeabilização em obras, de acordo com as diretrizes das Resoluções do CONAMA, considerando cinco etapas:

  • Etapa de caracterização: etapa onde se identifica e quantifica os resíduos.
  • Etapa de triagem: definição do processo de separação dos resíduos e de quem o fará.
  • Etapa de acondicionamento: definição de procedimentos de confinamento de cada resíduo.
  • Etapa de transporte: definições sobre a movimentação conforme a legislação vigente sobre transporte de resíduos.
  • Etapa de destinação: conforme Classes definidas em Resolução 307.

Fonte: www.ibisp.org.br, abr/2014.

Obs.: Caso a empresa tenha DECLARAÇÃO AMBIENTAL DO PRODUTO, solicitar as informações.

DESEMPENHO

No caso do emprego de tela ou véu de poliéster a empresa deverá informar as características necessárias, como gramatura, espessura, tensão de ruptura e alongamento de ruptura.

A empresa deverá apresentar informações a respeito de estanqueidade à água e dos testes necessários a serem realizados em obra.

A empresa deverá apresentar informações a respeito de desempenho térmico e a necessidade de aplicar produto refletivo, no caso de aplicação sobre laje exposta à radiação solar.

A empresa deverá apresentar informações a respeito da vida útil de projeto do produto.

Manutenção

O fabricante deverá especificar os serviços importantes de manutenção para atingir a vida útil declarada.

Como Comprar

Itens a serem verificados e/ou solicitados no momento da compra e recebimento.

  • Informar o local da entrega do material e outras características particulares de projeto.
  • O material é comercializado em galão de 3,6 kg, balde de 18 kg ou tambor de 200 kg.
  • Armazenar em local seco, coberto, ventilado e longe de fontes de calor.

publicidade

publicidade

Destaques da Loja Pini

A consulta dos profissionais ao site CONSTRUNORMAS não substitui, em hipótese alguma, o exame detalhado das normas técnicas vigentes junto à ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Pelo contrário, as interpretações e apontamentos reunidos no site visam facilitar e estimular o consumo frequente das informações integralmente contidas nos textos das normas, comercializadas nos canais autorizados pela ABNT (http://www.abnt.org.br/)